quarta-feira, 5 de março de 2008

Letra Morta - Jorge Camargo



Está no livro, está no templo
Mas não está no coração
Está no grego , está no hebraico
Mas não se fez encarnação

Está na forma, está nas fôrmas
Mas, Deus do céu, como serão
Os dias que estão por vir
Debaixo de tanta opressão?

Está na letra, está na lupa
E lá se foi a compaixão
Está nos lábios, está na lábia
De quem há muito já não tem noção

Do desvario, dos vãos desvios
Da estupidez da ostentação
Em olhos que não querem ver
A sua própria condição…

E a lábia é falsa,
E os lábios tremem,
E a lupa aumenta,
E a letra mata,
E a língua é pobre,
E o livro fecha,
E o templo é pedra…!